(21) 2510-3282      contato@paulapereiraurologia.com.br    |   

Dia Nacional do Homem - 15 de Julho | Quando pensar em reposição com testosterona?

Dia Nacional do Homem - 15 de Julho | Quando pensar em reposição com testosterona?

Inspirado pelo Dia Internacional do Homem, o Dia Nacional é celebrado anualmente em 15 de julho e tem o objetivo de conscientizar a população masculina sobre os cuidados com a saúde. Do ponto de vista urológico, os profissionais alertam para a febre de reposição hormonal com testosterona e explicam como funciona, para quê, por que e quem deve fazer essa reposição - que precisa sempre de indicação médica e só pode ser realizada após uma série de exames.

Os medicamentos com testosterona estão sendo largamente utilizados de forma indevida, por indivíduos sem deficiência hormonal comprovada. A deficiência de testosterona é comum em homens acima dos 50 anos, sendo alguns mais propensos que outros, como os diabéticos e os obesos. Os sintomas típicos dessa condição incluem: perda de interesse sexual; dificuldade de ereção; falta de concentração e capacidade intelectual; perda de pelos; ganho de peso; redução de massa e força muscular; irritabilidade e insônia etc. 

A testosterona é um hormônio sexual masculino responsável por estimular a produção de espermatozoides, pelos faciais/corporais e glóbulos vermelhos; aumentar libido, força e massa muscular; favorecer a densidade óssea; atuar na distribuição de gordura etc - ou seja, é um hormônio determinante para a composição corporal dos homens. O objetivo da reposição é justamente tirar proveito desses benefícios hormonais. 

Mas a terapia tem suas contraindicações: a primeira é para pacientes com câncer de mama (mais raro nos homens, porém existente) ou de próstata e a segunda para fins estéticos como infertilidade, ginecomastia (aumento dos seios) e aumento do hematócrito (percentagem de volume ocupada pelos glóbulos vermelhos ou hemácias no volume total de sangue. Se em doses aumentadas, corre-se o risco de formação de coágulos e embolia pulmonar). Altas dosagens de testosterona sob essas condições potencializam esses riscos. 

A terapia hormonal somente pode ser indicada pelo médico urologista e/ou endocrinologia. Será necessário um exame físico completo e uma avaliação dos níveis de testosterona pelo menos duas vezes antes de cogitar essa opção.

Fonte: Medical Site

15 de Julho de 2019