(21) 2510-3282      contato@paulapereiraurologia.com.br    |   

O que é Priapismo?

O que é Priapismo?

Conceito e Sintomas

Priapismo é uma condição médica na qual o pênis permanece ereto por um longo período de tempo, involuntariamente, até se tornar doloroso. Nestes casos, a ereção não está motivada por um estímulo, nem mesmo o sexual. O membro pode ficar rígido mesmo sem excitação ou mesmo ejaculando. Se não for tratado logo, pode trazer complicações como disfunção erétil ou impotência sexual.

Classificação e Diagnóstico

Há dois tipos básicos de priapismo: 

Isquêmico - quando o sangue acumula no pênis, acarretando em falta de oxigênio e nutrientes, culminando na morte das células da região. Uma vez aprisionado, o sangue pode coagular dentro dos corpos cavernosos e somente procedimentos cirúrgicos conseguem devolver a flacidez ao órgão. É o tipo mais comum, atingindo 95% dos casos.

Não isquêmico - consiste no conceito oposto, quando o sangue flui livremente, de forma abundante e constante, mantendo a ereção. Ainda assim, o pênis não fica completamente rígido já que não há isquemia. Por conta disso, a dor também é mais leve. 

O diagnóstico do priapismo é clínico, bastando ouvir as queixas do paciente e fazer o exame físico. A exceção é para as situações de trauma, quando pode ser necessário saber o teor de oxigênio no fluxo sanguíneo do pênis. O teste permite inclusive distinguir os tipos de priapismo. 

Causas e Fatores de Risco

Saber as causas do priapismo é fundamental para preveni-lo e essas causas estão relacionadas a prováveis falhas nos mecanismos de controle da ereção peniana - que envolvem múltiplos sistemas de cérebro, medula, nervos, hormônios, vasos sanguíneos e o próprio tecido erétil do órgão. O tipo não isquêmico decorre de um trauma que danifica a artéria e provoca uma fístula - canal anormal de comunicação entre duas estruturas ou dois sistemas corporais, no caso, a entrada e saída do sangue. Já as causas do tipo isquêmico estão relacionadas à dificuldade de drenagem do pênis, como em casos de anemia falciforme, talassemia, leucemia, problemas urológicos, uso inapropriado de medicamentos para ereção e disfunção erétil, uso incorreto de utensílios para prolongar a rigidez, abuso de drogas e medicamentos como anticoagulantes, antidepressivos etc.

Tratamento e Prevenção

O tratamento consiste primeiro em cuidar da causa do priapismo, sendo um trabalho de prevenção. Medidas preventivas são importantes para minimizar os riscos. Mas se o caso for uma emergência, então a equipe médica trabalha para interromper a ereção utilizando medidas de sucção do sangue, medicamentos que provocam a contração dos vasos e, em último caso, cirurgia. 

As medidas preventivas consistem em dar atenção à saúde cardiovascular, pois a ereção peniana depende basicamente de uma boa circulação de sangue no órgão. Controlando a hipertensão arterial, a diabetes e a dislipidemia (presença elevada ou anormal de lipídios no sangue), praticando atividade física regular, adotando uma alimentação balanceada, evitando cigarro e situações que provocam estresse já é o bastante para minimizar os riscos.

Fonte: Medical Site

24 de Outubro de 2019