(21) 2510-3282      contato@paulapereiraurologia.com.br    |   

Para que serve o espermograma?

O exame de espermograma serve para avaliar a quantidade e a qualidade dos espermatozoides do homem e é geralmente solicitado por três razões distintas: 

1)  Para investigar as causas de infertilidade; 

2) Para medir a capacidade reprodutiva; 

3) Para avaliar o funcionamento dos testículos e a integridade do epidídimo depois de uma vasectomia.

Como funciona o espermograma?

Primeiro é preciso se preparar. A preparação para o exame exige que o homem não pratique relações sexuais ou mastubação entre 2 e 5 dias antes, já que isso pode interferir no resultado - mais precisamente, na quantidade total de espermatozoides presentes no sêmen. A partir daí, o exame é feito com uma amostra de sêmen coletada pelo próprio paciente, preferencialmente, no laboratório - sem o auxílio de lubrificante ou preservativos, pois esses produtos também podem interferir no resultado. Antes da coleta, deve-se lavar muito bem as mãos e o órgão genital. Depois de colhido, o material é armazenado em um recipiente de vidro ou de plástico especial com uma abertura ampla, para evitar a perda da substância. Em seguida, é encaminhado para a análise. 

O espermograma é um exame altamente variável e alterações no período de abstinência são o suficiente para invalidar as análises. Assim, é normal que o médico solicite a repetição do teste antes de oferecer um diagnóstico. 

Como são feitas as análises?

A análise acontece em duas etapas: uma macroscópica e outra microscópica. A análise macroscópica é feita a olho nu e avalia viscosidade, cor, pH, volume e tempo de liquefação do sêmen. A análise microscópica, como o termo sugere, é feita com o auxílio de um microscópio e avalia concentração de espermatozoides por mL e por volume total, mobilidade, vitalidade e morfologia. 

Quais são as indicações para o espermograma?

O urologista normalmente indica o espermograma quando um casal está com dificuldades para engravidar e precisa investigar a produção de espermatozoides, saber se são suficientes e viáveis. O profissional também pode indicar o exame quando o homem apresenta algum sinal genético, físico ou imunológico que possa interferir em sua fertilidade. 

Atualmente, estima-se que a infertilidade atinja de 10% a 20% dos casais em idade reprodutiva, independente de suas origens étnicas ou sociais. Em 30% dos casos, o homem é o responsável pela causa da infertilidade. 

Nesse contexto, o espermograma é um dos exames mais indicados. Ainda assim, os parâmetros seminais não permitem a classificação definitiva dos pacientes em férteis ou inférteis. Geralmente é necessário realizar outros exames complementares para ter uma conclusão.

Fonte: Medical Site

05 de Dezembro de 2019

Paula Pereira Henriques - Doctoralia.com.br